Visibilidade

+ Acessadas

Curiosidades

Sexo

Notícias

Nossos Arquivos

Carregando...

26.9.16

Encontro das Águas – Um filme sobre amor e resistência

“Encontro das águas” aborda questões de gênero, raça, sexualidade e religiosidade de matriz africana. Lançamento será em sessão comentada no Cine Humberto Mauro em 29 de setembro.

Estúdio Pose
O filme idealizado por Zaíra Pires e Flávia dos Santos e dirigido pelo Mestre Negoativo, acompanha a jornada de duas mulheres negras belo-horizontinas, Rosane Pires e Iara Viana, durante os preparativos para seu casamento, bem como as cerimônias civil e religiosa. A história é pano de fundo para levantar um importante debate sobre gênero, raça, sexualidade e religiosidade de matriz africana, e sobre a intersecção de violências sobre a vida das mulheres negras homoafetivas no nosso país.

Estúdio Pose
A jornalista e produtora cultural Zaíra Pires, uma das idealizadoras do projeto, fala sobre a necessidade de se tornar pública a felicidade de mulheres negras, que são duplamente oprimidas pela sociedade, e o quanto suas conquistas são motivo de comemoração.

“Uma mulher negra feliz é uma revolução, já que estamos sendo cotidiana e ostensivamente violentadas pelo racismo e pelo machismo, ambos tão naturalizados na nossa sociedade, o que faz com que tenhamos muito mais dificuldades que outros cidadãos para ter nossos direitos garantidos e nossas existências respeitadas. Quando, a despeito de todos esses abusos e ausências, nós continuamos caminhando, sobrevivemos e vencemos, estamos afirmando que não vamos ceder. Nossa felicidade é política”. Pontua a jornalista.

Estúdio Pose
Estúdio Pose
O filme será exibido gratuitamente as 19h30, no Cine Humberto Mauro, em Belo Horizonte, com retirada de ingressos 1 hora antes do início da sessão.

Após a exibição do filme, acontece bate papo com as idealizadoras e as personagens, com falas sobre o processo de construção do filme, bem como sobre negritude, sexualidade, feminismo e religiosidade de matriz africana.

SERVIÇO:

Lançamento “Encontro das Águas”
Sessão comentada
Data: 29 de setembro de 2016
Horário: 19h30min
Local: Cine Humberto Mauro
Endereço: Avenida Afonso Pena, 1537, Centro.

26.8.16

Escutatória

Este depoimento foi enviado por uma de nossas leitoras e faz parte da iniciativa do DoMiNiO PeSsOaL, em divulgar depoimentos e histórias durante o mês em que se comemora a Visibilidade Lésbica.

Para participar envie seu depoimento para admdominiopessoal@gmail.com

Uma criaturinha de 1,60 metros de altura, que se transforma naquilo que quer. Que tem dois metros de altura quando vai falar sério comigo, e eu fico quietinha, só pra escutar. Que me ensinou o que é a escutatória (de Rubem Alves) na prática, e a paciência que cada coisa tem pra ser o que é.

Tem o maior colo do mundo, onde ali é paz, esquecimento.

E uma risada que ilumina tudo, (eu faço qualquer coisa pra ver e ouvir isso!).

E que na verdade não precisa de mim por inteiro, e parece saber dessas coisas fundamentais, que eu só aprendi depois, com alguma luta. E esforço. A serenidade de não apressar, nem atropelar nada, sabida ela. E que me explica esse mesmo essencial que preciso ouvir, com uma calma assustadora, (e que às vezes me irrita, porque só aprendi com esforço, e nada, nada, vem nessa compreensão serena, pacífica).

E também não sei como concordar mais do que já concordo. Como ser melhor, e mais próxima de minhas discordâncias, é que me aproximo dela.

Se eu aprendo com ela, é da maneira mais delicada, simples, da simplicidade de todas as formas, e tamanhos, me transforma em alguém novo, em algo novo, insondável. Que nós entendemos e eu não saberia explicar em palavras.
Se alcanço o rastro, é de alguma beleza que não tem nome definido, e significados, vários.

E eu fico toda boba, ridícula de amor, de ver acontecer.

E o que quero, é ficar perto dela, e mais nada.

Soraia e Tamara veem celebrado o amor há cinco anos,e esta foi a maneira que Soraia escolheu para dizer mais uma vez que ama aquela que faz feliz todos os dias de sua vida.

23.8.16

Ellen Page e Kate Mara vão se apaixonar no drama Mercy

Ellen Page e Kate Mara irão protagonizar o drama Mercy com direção da cineasta israelense Tali Shalom Ezer, cujo trabalho de estreia foi Princess, exibido durante o Festival de Sundance 2015.

Ambas as protagonistas também são produtoras do projeto. Durante o lançamento a divulgação “Freeheld” durante o Festival de Cinema de Zurique, Page declarou a vontade de investir em mais histórias sobre mulheres e com representatividade lésbica. As filmagens de Mercy devem começar em setembro, nos Estados Unidos.

“Estou focando principalmente em histórias que são significativas para mim e histórias para as mulheres e apoiar mais personagens lésbicas”, disse a atriz.

No longa, Page interpretará Lucy, descrita como "uma mulher do lado oposto da causa política de sua família" e  filha de um homem que está no corredor da morte. Ela acaba se apaixonando pela personagem de Kate Mara, Mercy, que defende uma posição política totalmente diferente da amada, o que acaba colocando os valores de Lucy em xeque revelando um mundo novo para ela, e levando o telespectador ao debate social sobre a pena de morte.

Provavelmente o filme ainda demorará a chegar às salas de cinema, mas iremos aguardar ansiosas, afinal de contas não é todo dia que se tem um filme de temática tão polêmica quanto a pena de morte produzido e dirigido por mulheres e com romance lésbico no enredo.