25.2.15

Anistia Internacional Revela Preocupação Especial com a Situação da Comunidade LGBT




A Anistia Internacional divulgou nesta terça-feira (24), um relatório anual que mapeia a situação dos direitos humanos em 160 países.

No documento, chamado “O Estado dos Direitos Humanos no Mundo”, a organização demonstra preocupação especial com a situação da comunidade LGBT no país. A edição de 2015 do "Estado dos Direitos Humanos no Mundo", critica o que, no entender da ONG, é uma intensificação da pressão e política e religiosa contra homossexuais.

O relatório cita estatísticas, compiladas pela ONG Grupo Gay da Bahia, de que 312 pessoas foram mortas em crimes de ódio homofóbicos ou transfóbicos no Brasil em 2013.
Para Maurício Santoro, assessor de direitos humanos da Anistia no Brasil, os número não apenas são críveis como podem estar subestimados.

"No Brasil há a dificuldade em se classificar crimes homofóbicos, pelo fato de que muitas vítimas e suas famílias não denunciam. Mas o fato de se poder falar que houve quase um homicídio homofóbico por dia em 2013 é grave mesmo diante das estatísticas mais gerais de crimes no Brasil", afirma Santoro, em entrevista à BBC Brasil.

"É preocupante quando esses grupos conseguem bloquear avanços na legislação que ofereça mais proteção. O Brasil teve avanços, mas eles ocorreram nos tribunais", completa Santoro.

A ONG expressou preocupação com o posicionamento público de figuras políticas e religiosas no Brasil em relação aos direitos da comunidade de LGBT, sobretudo o de autoridades com grande visibilidade, como congressistas. Citou-se explicitamente o veto a um projeto do governo federal de distribuir material educacional em direitos humanos nas escolas, como parte de uma campanha de conscientização sobre discriminações, como um exemplo negativo da pressão político-religiosa.


Avalie este artigo


Postar um comentário

Atenção: Você não precisa realizar login para comentar, basta escolher a opção anônimo em ''comentar como''.