6.2.15

Corrimento Vaginal

Corrimento vaginal é um fluxo de secreção totalmente normal de cor branca, leitosa ou transparente de odor quase que inexistente, variando de acordo com a quantidade de hormônios presentes no corpo da mulher, portanto, o referido quase que inexiste antes da adolescência ou após a menopausa, e, durante a menstruação, antes, ou logo após ela, suja toda a calcinha da mulher. O caminho trilhado pelo corrimento pode ser variado, o mais comum é o que sai do colo do útero.

Toda mulher possui corrimento vaginal, e, na maioria dos casos, esse corrimento é normal (denominado de fisiológico). Sendo normal o corrimento, a sua função precípua é umedecer a nossa ppk/xota, mantendo (por incrível que pareça) a região limpa e livre de possíveis infecções. Geralmente, expelimos cerca de 1 a 4 ml de volume diário dessa secreção que nada mais é que uma mistura de células mortas, muco e flora vaginal (demais líquidos associados à vagina). 

Ao revés, Leucorreia é o nome denominado para corrimentos que não são normais (fisiológicos). Portanto, em alguns casos, doenças ginecológicas podem provocar anormalidades nesse tipo de secreção.
Dentre as diversas causas que podem ocasionar o corrimento vaginal anormal, o DoMiNiO PeSsOaL  escolheu as mais comuns, vejam só:

- Candidíase: É um tipo de fungo que faz parte da flora vaginal, vivendo em simbiose com a nossa xota, porém, desordem no organismo pode fazer com que esse fungo se multiplique ao ponto de provocar problemas sérios. O principal sintoma da candidíase é coceira ou ardência na xota, bem como, cheiro semelhante a um queijo perdido.

- Gonorreia & Clamídia: Recentemente foi publicado neste espaço uma serie de postagens sobre DST, dentre as varias, citamos a Clamídia, por isso, este tópico não será aprofundado.

- Vaginose bacteriana: É a principal causa de corrimento anormal. Tem origem em infecção causada por alterações na flora natural da xota que provoca a redução de lactobacillus (bactérias boas) e um excessivo crescimento de bactérias aeróbicas (bactérias malvadinhas). O sintoma típico da vaginose é o corrimento vaginal fino e acinzentado com um odor muito forte (tipo o do peixe podre). A inflamação na região também pode ser considerada como indicio de vaginose. 

- Alergia: O uso de certas substâncias podem gerar o aparecimento de corrimento anormal na vagina. Ex: uso de lubricantes para dildos.

Tipos  de  corrimentos

- Marrom: Geralmente expelimos corrimento marrom quando existe sangue misturado ao mesmo. O sangue pode ter como origem a menstruação ou algum tipo de ferimento interno;

- Amarelado: Geralmente é sinal de infecção, principalmente se acompanhado de mal cheiro, ardência ou coceira;

- Branco: ‘’ o corrimento brancacento pode ser normal, principalmente se for fino e em pequena quantidade. Corrimento mais espesso e acinzentado, geralmente associado a sintomas irritativos, como coceira e dor vaginal, pode ser candidíase. Se houver cheiro forte, a vaginose é uma possibilidade’’

Tratamento

O tratamento pode variar de acordo com o tipo e intensidade do problema. Não existe  tratamento ‘’único’’ para todos os tipos! Portanto, procure sua ginecologista e cuide de sua xota.


Avalie este artigo


Postar um comentário

Atenção: Você não precisa realizar login para comentar, basta escolher a opção anônimo em ''comentar como''.