13.3.15

E Bofinha com Bofinha, pode?




Em pleno século XXI uma parte esmagadora das lésbicas ainda reproduz pensamentos machistas de papeis de gênero que ditam o comportamento social e até mesmo sexual de mulheres que amam mulheres, limitando-as a formarem pares que reproduzam padrões heteronormativos. Seguem a ''regra'' em que o casal tem de ser composto por uma lésbica considerada dentro dos padrões que a sociedade dita como feminina e outra masculina, mas a exceção mais aceitável é quando as duas são Ladys, porém, neste caso, bofe com bofe é considerado heresia, afinal de contas alguém tem que fazer o papel do homem na relação, não é mesmo?! (SQN!).

Apesar de ser algo comum no meio lésbico essa ditadura de bofe-lady ou lady-lady, limitam relacionamentos amorosos e sexuais porque por mais que uma lésbica masculina sinta-se atraída por outra semelhante a ela, inconscientemente (ou não) movida por “um gosto pessoal” moldado pelo patriarcado irá descartar a mulher por quem poderia sim ter vivido um belo e delicioso relacionamento.

O amor é livre e não faz sentido seguir padrões de gênero que nos aprisionam e nos impedem de viver plenamente a sexualidade. Muito mais do que subverter o sistema assumindo-se enquanto lésbica, é preciso ir além, questionando tais padrões e ter a coragem de assumir seu amor a mulheres independente da maneira como estas se vestem.

É preciso questionar aquilo que chamamos de gosto pessoal, verificar se ele não é mais um medo em se gostar daquilo que as pessoas dizem que você não pode gostar por medo do julgamento dentro de uma comunidade que deveria lhe acolher, por medo de viver sua sexualidade de maneira verdadeiramente plena.

Bofinha com Bofinha pode sim senhora. Nós somos livres e podemos tudo. Libertem-se!


Avalie este artigo


Um comentário :

  1. Não acredito que isso seja um limitante na sociedade atual! Com respeito pode-se tudo!!!

    ResponderExcluir

Atenção: Você não precisa realizar login para comentar, basta escolher a opção anônimo em ''comentar como''.