14.8.15

Suprema Corte de Justiça mexicana confirmou a adoção para casais de mesmo sexo

Por 9 votos contra 1, a Suprema Corte de Justiça mexicana determinou nesta terça-feira (11) que casais do mesmo sexo têm o direito de adotar crianças,ao declarar inconstitucional um artigo que autoriza os casais do mesmo sexo a manter um vínculo legal, mas não admite a adoção no Estado de Campeche.

adoção para casais do mesmo sexo

Em junho passado, a Suprema Corte do México decidiu que os juízes dos tribunais inferiores devem conceder amparo aos recursos de casais gays que desejam contrair matrimônio, o que de fato legaliza o casamento homossexual.

A Cidade do México foi a primeira da América Latina a legalizar a união de pessoas do mesmo sexo, ao aprovar, em 2007, a chamada "sociedade de convivência". Em 2010 aprovou o direito de adoção por parte de casais gays.

"Levando em conta a todo momento o interesse superior da criança, a reforma proposta é constitucional", disse o ministro Arturo Zaldívar.

Em frente à corte, no centro histórico da capital, dezenas de pessoas se manifestavam contra e a favor da adoção. Alguns homossexuais se beijavam ao final da votação, ou agitavam bandeiras com as cores do arco-íris e a palavra "igualdade."
Já os adversários da nova lei gritavam, de Bíblia na mão, que "as crianças querem mãe e pai."

A discussão sobre os direitos dos homossexuais ao casamento e à adoção ocupou durante mais de duas semanas o principal tribunal mexicano. Na semana passada, os juízes já haviam decidido que matrimônios contraídos na cidade valem em todo o país.


Avalie este artigo


Postar um comentário

Atenção: Você não precisa realizar login para comentar, basta escolher a opção anônimo em ''comentar como''.