16.10.15

Perguntas para não se fazer a um casal de mães lésbicas

Ser lésbica não impossibilita nenhuma mulher de ser mãe, sejam os filhos gerados naturalmente ou adotados. Ser uma mãe e lésbica é totalmente natural, mas estar em uma família não tradicional implica em não ser reconhecida pela sociedade, além do julgamento por “ousar” ser uma mãe sapatão.


Não bastasse toda a invisibilidade e julgamento sofridos por mães lésbicas, quando resolvem ter um filho juntas, ainda têm de escutar perguntas no mínimo bem nosense de pessoas que nem ao menos intimidade tem, mas que por se tratarem de lésbicas, as pessoas acabam acreditando que tem passe livre para entrevista-las de maneira lesbofóbica e inconveniente sobre sua maternidade quando bem quiseram.

Listamos as principais, para que se alguém estiver pensando em fazê-las, pense duas vezes no quão errado esta sendo. Ah e claro que pode mandar o link para os sem noção também! 

1 – Quem é o pai?

Porque alguém faz este tipo de pergunta? Você nunca irá perguntar a uma mulher heterossexual grávida, quem é o pai do filho dela, muito menos a um pai adotivo, pra saber quem é o “pai” da criança. Então porque ser tão insensível e sem noção para fazer uma pergunta do tipo a um casal de lésbicas? Se for facilitar seu raciocínio, aceite que não há um pai, mas sim um casal de mães amorosas que cumprem muito bem tanto o papel de mãe como o de pai, e que mesmo que exista um “pai” isto nem da sua conta é.

2 – Quem é a mãe biológica?

Mesmo que você saiba que a criança é biológica ou adotada, esta não é uma pergunta que deve ser feita. Talvez naquele relacionamento, uma das mães tenha carregado a criança em seu ventre e depois tenha dado a luz, talvez elas tenham adotado. Na verdade nada disso importa, no entanto, no entanto, questionar quem é a mãe biológica tende a implicar que quem deu à luz a criança é mais mace do que a outra.

3 – Onde você conseguiu esperma

Mesmo que você conhece bem o casal de lésbicas, esta é uma questão delicada para se entrar, a menos que elas sejam bem abertas sobre o tema. Caso contrário, é uma coisa muito particular além de não ser da conta de ninguém a não ser das duas saber de onde veio o doador.

4 – Será que a criança não sentirá falta de uma figura paterna?

Engraçado que ninguém pergunta aos milhares de homens que abandonam seus filhos, se ele não acha que a criança sentirá falta da “figura paterna”.

Esta pergunta sugere que duas mulheres são incapazes de atender as necessidades de seu filho como um homem atenderia. Isso implica em julgá-las inferiores e definitivamente não é uma questão aceitável, por vir com a suposição de que elas não serão capazes de ensinar a seus filhos coisas “masculinos” como esportes por exemplo. Saiba que a única coisa que elas não ensinarão a eles é ser um machista que pensa este tipo de coisas.

5 – E se seu filho sofrer bullying por ter mães lésbicas?

Crianças sempre sofrerão bullying, não importa qual será o motivo. Se é por serem pobres, negros, gordinhos, a lista é enorme. Seguindo esta lógica um casal de negros não deveriam ter filhos, porque essas crianças sofreram racismo constante, afinal de contas as crianças iriam sofrer com isso... Que tal uma família pobre deixar de ter filhos por não poderem pagar roupas de marca para seu filho?

Ilógico não é mesmo? O mesmo vale para uma criança criada por um casal de lésbicas, por isso é muito simplório pensar que elas devem evitar ter filhos pelo simples fato de que eles irão sofrer bullying.


Avalie este artigo


Postar um comentário

Atenção: Você não precisa realizar login para comentar, basta escolher a opção anônimo em ''comentar como''.