29.12.15

Por que as mulheres ainda são tão envergonhadas de suas vaginas?

O pós - modernismo nos trouxe monólogos sobre a vagina, marcha das vadias, meu corpo minhas regras... Só não libertou a sociedade da demonização da vagina, que acontece inclusive em meios feministas e não conservadores.

Enquanto homens endeusam seus pênis, mulheres são estimuladas ao auto-ódio contra este importante órgão maravilhoso. A palavra “bct”, por exemplo, é facilmente recebida com careta e proclamações de que são nojentas, cheiram mal, são muito úmidas, etc. Infelizmente não são poucas as mulheres que acham que sua vagina seja nojenta e feia, graças à cultura de ódio sobre nossos corpos a que somos submetidas e ensinadas desde muito cedo.
A idéia de que mulheres gostam de suas vaginas, e consequentemente tocá-las e adorá-las tanto quanto os homens gostam de seus pênis não deveria ser tabu, mas aparentemente é. Mudar esta realidade é preciso e para começar esta mudança temos de primeiramente aprender a amar a nossa vagina, celebrá-la e principalmente não ter medo de falar sobre ela.
Em uma sociedade falocentrica em que somos ensinadas a odiar nossa vagina, seus líquidos, seus pelos e odores, amá-la é uma revolução!
A excêntrica cantora Peaches, liberou o polêmico clipe “Rub” que mostra sem pudor algum, vaginas de vários tamanhos, cores e pelos... Não é uma surpresa que quando lançado o clipe tornou-se alvo de perseguição, sendo classificado como ofensivo. Mas longe disso, o vídeo é uma celebração ao prazer feminino, ao poder e a dor de seu âmago.
Em “Rub”, nos traz uma importante reflexão: Por que as mulheres ainda são tão envergonhadas de suas vaginas?




Avalie este artigo


Postar um comentário

Atenção: Você não precisa realizar login para comentar, basta escolher a opção anônimo em ''comentar como''.