24.2.16

#52FilmsByWomen: Tig,o documentário que te fará rir e chorar de emoção

A equipe DoMiNiO já está frenética correndo atrás das semanas perdidas em que ainda não tínhamos entrado no desafio #52FilmsByWomen,e assistindo a várias produções cinematográficas maravilhosas produzidos,dirigidos e centrados em mulheres,e conforme prometemos iremos compartilhar tudinho com vocês!

Dentre as produções assistidas nas ultimas semanas vale destacar o documentário Tig, que inclusive está disponível na Netflix desde julho de 2015. O documentário segue o dia a dia da comediante Tig Notaro, que luta contra o câncer de mama enquanto vive a pior fase de sua vida conciliada a suas apresentações de stand-up.

“Boa noite. Olá. Eu tenho câncer. E com vocês tudo bem?” Foi assim que Tig iniciou aquele que se tornou o seu mais famoso espetáculo de stand-up comedy, no Largo Theater, em Los Angeles no ano de 2012, deixando a principio a plateia confusa e surpresa com a surpreendente revelação.

A apresentação deu origem a um disco, Tig Notaro – Live - disponível no iTunes, na Amazon e no Spotify - que chegou ao top de comédia da revista Billboard e esteve nomeado nos Grammy na categoria de Melhor Álbum de Comédia em 2014.

O documentário Tig – Finding Life in the Face of Dead, de Kristina Goolsby e Ashley York levou dois anos para ser produzido, e inicia-se em agosto de 2013 num espetáculo de stand-up de Tig em que os comediantes Sarah Silverman e Zach Galifianakis também participam, um ano após a apresentação memorável no Largo Theater. Na primeira cena somos apresentados aos bastidores e o nervosismo da comediante ao retornar ao mesmo palco em que falou abertamente sobre estar com câncer, emocionando a todos.

“A comédia é sempre um risco. Mas há exatamente um ano, quando estava atrás do palco à espera que o Ed (Helms, também comediante e ator) me anunciasse, eu só pensava que não tinha nenhuma ideia de como é que ia acontecer. Entrei no palco sem saber se ia viver ou morrer. E por causa da minha vida estar desmoronando tão rapidamente, de alguma maneira assumi que ia morrer”, conta Notaro no início do documentário.

2012 foi um ano horrível para Tig. Após uma pneumonia, durante as filmagens do filme In a World, não se sentia muito bem, o que acabou levando-a a um colapso que culminou em sua internação em um hospital sentindo intensas dores abdominais devido a uma infecção causada pela bactéria Clostridium difficile. Emagreceu mais de nove quilos, tinha dificuldade em comer, ficou muito fraca. Tig estava tão debilitada e fraca, que não conseguia imaginar que a situação poderia piorar ainda mais.

Uma semana depois, a 24 de Março de 2012, dia do seu 41.º aniversário, Tig não conseguiu atender a tempo o telefonema da mãe a cantar-lhe os Parabéns. Dois dias depois o telefone voltou a tocar - era de casa dos pais. Achou que era a mãe para lhe dar os parabéns outra vez, mas era o padrasto, com a má notícia de que sua mãe estava em estado grave no hospital. A mãe de Tig tinha 65 anos e morreu pouco depois. No filme, Notaro conta que se sentiu como se no momento em que estava a começar a ver a luz ao fundo do túnel alguém lhe colocasse um outro túnel a seguir.

Dois meses depois, em Julho, Tig Notaro descobriu dois nódulos e foi diagnosticada com câncer da mama bilateral. No dia seguinte tinha uma apresentação de stand-up marcado. Decidiu não cancelar, pois conseguiu enxergar humor no que lhe estava acontecendo. Era tão ridículo, tão hilariante. Depois de tudo o que lhe tinha acontecido ainda tinha câncer?! Afinal a comédia podia transformar a tragédia em humor. Foi então que começou a escrever as piadas sobre toda a reviravolta que sua vida havia tomado.

No dia 3 de agosto de 2012 Tig subiu no palco do Largo Theater, anunciando que acabara de ser diagnosticada com câncer. A plateia foi apanhada com surpresa. As pessoas não sabiam como reagir, se riam ou se choravam ou se faziam as duas coisas. Quando perceberam que não era uma atuação, algumas choraram. Ela quase chorou e quis ir embora, mas o público incentivou-a a continuar. Durante a noite a notícia do que tinha acontecido no Largo tinha-se tornado viral.

O documentário começa a nos apresentar a vida de Tig após essa apresentação viral no Largo, e como ela conseguiu lidar com tantas adversidades em sua vida após tantas tragédias em um único ano. Podemos acompanhar também sua luta para poder ser mãe, bem como sua busca pelo amor.

Felizmente nem só de tragédias viverá este documentário! Tig – Finding Life in the Face of Dead, se desenvolve repleto de humor, vindo inclusive da própria protagonista que consegue narrar suas tragédias de uma maneira divertida, mas não menos emocionante. Fechando com chave de ouro temos um romance lésbico e um final feliz com cara de recomeço.

Se você topou entrar nesta campanha conosco, ou está interessada na iniciativa siga a #52FilmsByWomen e descubra mais sobre esta Campanha que tem como objetivo chamar atenção de uma forma divertida para talentosas cineastas de todo o mundo, que infelizmente são invisibilizadas na indústria do cinema pelo simples fato de serem mulheres, desencadeando uma conversa criativa e interativa sobre os filmes assistidos.

E para começar nada melhor do que este emocionante documentário!



Avalie este artigo


Postar um comentário

Atenção: Você não precisa realizar login para comentar, basta escolher a opção anônimo em ''comentar como''.