13.5.16

11 Coisas que você provavelmente não sabe sobre sua vagina (mas deveria)

Estamos em pleno século XXI e falar de vagina ainda é um tabu. Em um mundo em que garotos são ensinados desde pequenos a amar e ter orgulho de seu pênis enquanto garotas têm de esconder suas vaginas, por acreditarem que são sujas além de uma fonte de pecado e perdição do homem (já ouvi isso várias vezes em culto de mulheres na igreja), é de se entender porque as mulheres têm tanta vergonha e medo de falar de seu órgão genital, de seus odores, líquidos e formas.

Todo esse pudor em torno de nossas vaginas é extremamente prejudicial, pois literalmente acabamos por não conhecê-la e consequentemente não conhecer a nós mesmas, ficando mais vulneráveis a doenças, baixa estima, medo e não menos importante,acabamos por não explorar todo o potencial sexual dessa parte tão maravilhosa de nossa anatomia.

Fizemos uma pequena compilação de alguns fatos sobre a vagina que talvez você não saiba, mas que são extremamente importantes.

1. O que você chama de vagina, na verdade tem outro nome.

Geralmente utilizamos a palavra vagina para designar o órgão sexual feminino, mas isto não esta correto. A parte que comumente chamamos de vagina na verdade se chama vulva. A vagina é a parte interna do seu órgão sexual, já a vulta é composta por toda a parte externa.

2. Você não precisa de sabonete íntimo, sua vagina é autolimpante.

Sabe quando você sente que ficou molhada sem ao menos estar excitada? Então, este corrimento esbranquiçado e inodoro que te causa incômodo muitas vezes é o responsável por fazer a limpeza da vagina, eliminando bactérias, toxinas e células mortas, ou seja, os sabonetes íntimos são desnecessários.

Fazer duchas vaginais no intuito de lava-la é prejudicial à saúde, pois te expõe a riscos de infecções. O mesmo vale para sabonetes íntimos que retiram a proteção natural do órgão. A limpeza da vulva (parte externa) já é suficiente para mantê-la limpa e saudável.

3. O corrimento vaginal incolor e livre de odores fortes é natural e saudável.

Toda mulher tem corrimento vaginal, e isto é algo totalmente normal desde que ele não apresente cheiro forte e seja incolor. Não há nada de nojento ou anti-higiênico em ficar com a calcinha molhada durante o dia, pelo contrario, isto é um sinal de que seu corpo está funcionando normalmente e que esta tudo ok com sua saúde.

4. Sua vagina precisa se exercitar, assim como você.

Sua vagina não é exatamente um músculo, mas existem músculos nela, e eles precisam ser exercitados. Alguns fatores como pós-parto, menopausa, sobrepeso e até mesmo fumar, dentre outros, podem comprometer a musculatura existente na sua vagina, portanto praticar exercícios com a PPK é saudável e necessário.

A técnica para exercitar a vagina é chamada de pompoarismo, se resume em exercitar o assoalho vaginal, uma complexa estrutura muscular que fica em torno da pélvis feminina.

O pompoarismo possui benefícios físicos comprovados, que vão desde a prevenção de doenças (como cólicas e incontinência urinária) até a proteção contra a flacidez vaginal. Além disso, o pompoarismo dá uma forcinha na hora do sexo. Exercer o controle sobre o canal vaginal aumenta a libido da mulher.

5. Fazer xixi depois de ter relações sexuais ajuda a prevenir infecções urinárias.

Uma das maneiras de diminuir o risco de infecções é fazer xixi após o sexo com penetração, para “lavar” a uretra e eliminar as bactérias que possam ter entrado durante o ato. Segundo os médicos, segurar o xixi por muito tempo é um fator de risco para infecção, assim como a baixa imunidade.

6. Deve-se lavar os brinquedos sexuais e as mãos antes do sexo – não necessariamente depois.

Claro que é uma boa ideia lavar os sex toys e as mãos antes e depois das relações sexuais. Mas é imprescindível que você os lave antes de entrar em contato com a umidade vaginal, evitando futuras infecções advindas de bactérias encontradas em baixo das unhas e nos brinquedinhos. No final das contas dormir com o cheirinho de XXT na mão não é uma ma ideia, não é mesmo?

Lembre-se, além dos sex toys os métodos utilizados para prevenção também devem ser lavados antes do sexo. Alguns protetores de língua tem um revestimento em pó para evitar que grudem umas nas outras, e a maioria das luvas de látex (comumente utilizadas cortadas para proteção durante o sexo oral, ou na penetração) tem revestimento em pó semelhante. Este pó é químico, e é reconhecido como um corpo estranho em nossas vaginas, mesmo no sexo sem penetração, o que pode causar irritação, alergias e até mesmo infecções. Embora os preservativos sejam essenciais na hora de utilizar os brinquedos sexuais, é preciso ter certo cuidado, a maioria das camisinhas existentes no mercado possuem espermicidas que podem causar problemas de fertilidade e algumas irritações a flora vaginal. Já que em relações lésbicas o espermicida é desnecessário, evite utilizar camisinhas que possuam a substância.

7. Mulheres podem expelir uma grande quantidade de líquido durante o sexo.

Muito se engana quem acredita que só homens expelem líquidos durante as relações sexuais. Mulheres também podem expelir bastante líquido enquanto está transando (com ou sem penetração),e isto é absolutamente normal.

8. Mulheres adultas têm pelos, e eles estão ali por algum motivo.

Ao contrario do que as empresas que produzem barbeadores e ceras depilatórias querem que você acredite, não há nada nojento ou anti-higiênico em ter pelos. Eles têm diversas funções como proteção física e térmica. Com a retirada dos pelos, as bactérias têm acesso livre para região interior da pele, podendo ocasionar inflamação ou infecção, que precisará de acompanhamento médico. O atrito direto com a calcinha e absorventes são outros fatores que aumentam a umidificação do local, responsáveis pela proliferação de bactérias.

9. Nenhuma vulva é igual à outra.

Muitas de nós cresceram com a ideia de que “vaginas de atriz pornô” são as ideias, o que de fato é totalmente prejudicial para a autoestima e vida sexual de mulheres adultas que tentam alcançar um padrão estético perfeito que na verdade existe apenas em vídeos pornôs feitos por homens para agradar apenas a eles, em que mulheres são praticamente inquebráveis, simétricas e “perfeitas”.

Nenhuma mulher tem uma vulva igual à de outra, cada uma tem sua própria forma, cor e tamanho. Os lábios também são diferentes, inclusive um do outro, é perfeitamente normal que um lábio seja menor que o outro, por exemplo, assim como acontece com nossos pés ou seios. O corpo humano não é absolutamente simétrico.

Durante o orgasmo os lábios normalmente ficam mais escuros e aumentam o tamanho, devido ao aumento do fluxo sanguíneo na região. Definitivamente isto não é ruim, lábios “inchados” é um sinal de que você esta se divertindo e deve estar comemorando!
Ah, e lábios desenvolvidos são características de todas as mulheres adultas, você não precisa ter vergonha dos seus.

10. Fique tranquila, sua vagina não vai “cair” com o passar dos anos.

Você já ouviu aquela história surreal da vagina que caiu? Bom, fique tranquila, pois isto não passa de um mito, a vagina não cai. O que acontece é a popularmente conhecida como bexiga ou útero caído, que na verdade é um prolapso genital. Isto acontece quando os músculos do assoalho pélvico (a musculatura que fica em torno da vagina) ficam mais frágeis, causando a perda da sustentação dos dois órgãos, que podem ceder até a região da abertura da vagina. Casos de prolapso genital acontecem em gravidezes sucessivas, envelhecimento, além de obesidade e certas doenças musculares. Para tratar o problema, é necessário cirurgia para recolocar os órgãos na posição adequada e reforço da musculatura.

A noticia boa é que o prolapso genital pode ser evitado com a utilização de técnicas do pompoarismo.

11. Absorvente interno ou coletor menstrual não “tiram” a virgindade.

Muitas lésbicas não curtem penetração, o que é absolutamente normal, afinal de contas não precisamos dela necessariamente para atingir o orgasmo. Muitas têm medo de utilizar o coletor menstrual, por exemplo, com medo de que possam “perder a virgindade” ou até mesmo sentir dor durante a utilização.

Existem coletores de diversos tamanhos, inclusive para mulheres que nunca tiveram relações sexuais com penetração, basta pesquisar sobre o tipo de coletor ideal para você. Diferente do absorvente interno o coletor menstrual não causa dores, no começo pode ser um pouco incômodo por falta de costume, o que exige um breve período de adaptação, mas depois que se acerta o jeito de colocar e tirar, o resto é tranquilo.
Agora vamos à questão da virgindade...

Virgindade é um conceito muito relativo (ter a primeira relação sexual é uma coisa, ter o hímen rompido é outra).

Conheça seu corpo. Ame-o! 


Avalie este artigo


Postar um comentário

Atenção: Você não precisa realizar login para comentar, basta escolher a opção anônimo em ''comentar como''.