6.6.16

UOL apresenta o Família Flex, um especial sobre a “tradicional” família homoafetiva brasileira

Desde maio de 2011, quando o STF (Supremo Tribunal Federal) reconheceu a união homoafetiva. Homossexuais passaram a ter (pelo menos no papel) os direitos de um casal heterossexual, como pensão alimentícia, herança, plano de saúde e a possibilidade de adoção de filhos com sobrenome da nova família.

Após decisão do STF teoricamente todos viraram iguais perante a lei, e o sonho em ter uma família oficialmente reconhecida pelo Estado se tornou uma realidade para varias famílias homoafetivas. Hoje em dia apensar das dificuldades, já é possível se casar e ter filhos (adotados ou não) de acordo com a lei.

O poder judiciário de nosso país nesses últimos anos vem deferindo pedidos de adoção de casais de pessoas do mesmo sexo, permitindo uma aceitação legal de um novo modelo de família que alem de ser composta por filhos adotivos e pais homossexuais, une um grupo de minorias, devido ao fato de casais homossexuais serem mais propensos a adotarem crianças rejeitadas por casais heterossexuais, como por exemplo, adolescentes, grupos de irmãos, negros, com necessidades especiais, ou seja, crianças reais dos abrigos brasileiros que esperam durante anos por um lar.

O TAB do Portal UOL fez um especial sobre os dramas e êxitos na construção da família homoafetiva brasileira, onde mães e pais homossexuais e crianças à espera de um lar agem para mudar a cara do núcleo social que é à base das relações humanas em busca de uma vida que os complete.

Confira a reportagem na íntegra AQUI.


Avalie este artigo


Postar um comentário

Atenção: Você não precisa realizar login para comentar, basta escolher a opção anônimo em ''comentar como''.